Preservação ambiental e RPPNs

       

A região onde está A Fazenda Meandros tinha como cobertura original a Mata Atlântica, com predominância dos ecossistemas Floresta Ombrófila densa e Floresta Ombrófila Mista cujos remanescentes são parte dos 8% que hoje restam desse bioma no Estado de São Paulo. (Fig.1)

 

 

                                      Fig.1 Evolução da cobertura de Mata Atlântica do Estado de São Paulo

 

 

Até meados dos anos sessenta a região possuía um alto grau de preservação ambiental, basicamente pela dificuldade de acesso pela falta de infraestrutura de estradas e pelo consequente baixo índice demográfico.

A partir do final dos anos sessenta, a falta de cultura e consciência ambiental da população em geral e em particular dos nossos governantes  levaram a políticas ambientais absurdas  que aliadas a falta de fiscalização e corrupção permitiram que a cobertura original de mata Atlântica da região fosse retirada para ser substituída por espécies exóticas ( pinus e eucalipto). Esse chamado “reflorestamento” era ainda por cima favorecido com incentivos fiscais. Como consequência a região até então preservada começou a ser desmatada.

Em meados dos anos setenta as primeiras glebas do que hoje é a Fazenda Meandros foram adquiridas e na contramão do consenso da época, em vez de derrubadas iniciou-se a proteção e vigilância das áreas de Mata.

As áreas para preservação ambiental começaram então a ser separadas a partir de 1975 e após o Decreto 1.992 de 1996, foram criadas, por iniciativa do proprietário, três RPPNs (Reserva Particular do Patrimônio Natural) com área de 330,7 ha.  Outras áreas da Fazenda também foram preservadas seguindo as mesmas normas e estão em fase final da regularização documental, necessária para a criação de novas RPPNs . Hoje o total da área protegida é de 846,7 ha. (Fig. 2)

 

                                                                        Fig. 2 Fazenda Meandros divisão das áreas

 

 

                                                                      

As RPPNs uma vez criadas têm caráter perpétuo e vão garantir para as gerações futuras, juntamente com as demais unidades de conservação ambiental do nosso País, a manutenção de um patrimônio de valor incalculável e que infelizmente tem sido até agora, sistematicamente destruído.

O atual proprietário da Fazenda Meandros é o Biólogo Claudio Martins Ferreira sendo além de produtor rural, o gestor das RPPNs Meandros I, II, III, sócio fundador e conselheiro da ONG FREPESP (Federação das Reservas Particulares do Estado de São Paulo, www.frepesp.org.br/), que representa todas as RPPNs do Estado.

 

left show fwB tsN|left tsN uppercase fsN fwB|left uppercase center show fwB fsN tsN|bnull|sbww|image-wrap|news login normalcase c10|fsN fwR c10 normalcase tsY|normalcase c10|news login fwR c10 normalcase|tsN c10 normalcase fsI fwB|fwR normalcase c10|content-inner||