Área de produção

 

 

 

A atividade produtiva ocupa área da Fazenda separada das RPPNs e demais áreas de preservação. Devido ao caráter intensivo possível pelo cultivo protegido ocupa somente 15% da área total. Desde o seu início em 1976 tem o objetivo de gerar renda e empregos viabilizando ao mesmo tempo a autossuficiência da propriedade e a conservação das áreas protegidas.

Até 1990 trabalhamos com técnicas de plantio convencional em campo aberto e produção de hortaliças adaptadas ao clima da região. No início de 1990 montamos a primeira estufa para a produção de hortaliças. Naquela época o cultivo protegido no Brasil era utilizado basicamente para a produção flores e plantas ornamentais. Nossos produtos de estufa foram inicialmente comercializados no CEAGESP e logo ganharam destaque, pois tinham qualidade muito superior aos que eram produzidos no campo.

Nossa área coberta foi gradativamente sendo ampliada e hoje temos 35.000m2 de estufas.

A partir de 1998 iniciamos a comercialização de produtos embalados diretamente aos supermercados.

Desde então temos aumentado o número de espécies cultivadas principalmente com a introdução de variedades exóticas no mercado.

 

Da Produção à comercialização 

Produção e comercialização são atividades interdependentes e complementares. Temos dado preferência aos clientes que tem a parceria como filosofia de trabalho. Esta traz benefícios tanto aos fornecedores quanto aos clientes: os primeiros com a certeza de que seus produtos serão bem e continuamente colocados no mercado e os segundos com a garantia de qualidade, confiabilidade e regularidade no fornecimento. Além disso, a parceria permite que exista entre cliente e fornecedor uma constante troca de informações, ideias e sugestões que conferem a ambos uma vantagem competitiva, possibilitando um melhor planejamento da produção, feedback quando da introdução de novos produtos e boa resposta adaptativa às tendências do mercado. 

 

Técnicas de produção 

A tendência mundial no setor é o progressivo aumento do uso da tecnologia visando:

 

  •        Obtenção de produtos de maior qualidade

  •        Aumento da produtividade

  •        Controle e diminuição do impacto ambiental

     

    Para isso é fundamental a utilização de agroestufas ponto de partida para o controle do ambiente de cultivo, o visando a expressão máxima do potencial genético da espécie cultivada.

    Paralelamente é também fundamental a escolha de cultivares com genética adaptada às condições do cultivo e preferência do consumidor.

     

    No Brasil o progresso tem sido lento nessa área, pois depende de produtos (inclusive sementes) e tecnologia importados, cujo custo é muito alto dificultando e muitas vezes inviabilizando o investimento. Esse alto custo é basicamente devido à tributação excessivamente alta consequência de uma visão nacionalista e pseudo protecionista arcaica, na contramão do que é praticado na maioria dos países em desenvolvimento, quando se trata de modernizar a agricultura.

     

    Nessa linha nossa produção é toda em cultivo protegido, no solo com gotejamento e fertirrigação e está, progressivamente, sendo substituída por em hidroponia em substrato, com automação da irrigação, adubação controle climático.

 

 



left show fwB tsN|left tsN uppercase fsN fwB|left uppercase center show fwB fsN tsN|bnull|sbww|image-wrap|news login normalcase c10|fsN fwR c10 normalcase tsY|normalcase c10|news login fwR c10 normalcase|tsN c10 normalcase fsI fwB|fwR normalcase c10|content-inner||